João Ritter vence na abertura da Indy Series em Atlanta

Em uma prova bem disputada, João Ritter vence e Adriano Pinheiro chega em segundo

A abertura de campeonato na Indy Series na temporada 2021/1 do F1 Brasil Clube, nesta terça-feira (19) no oval de Atlanta apresentou a nata dos pilotos e equipes especialistas neste tipo único de competição, e João Ritter superou grandes rivais nesta noite para sair na frente na briga pelo título.

Começando a apresentação das equipes pela atual campeã, o Corinthians conta com Silvio Sanchez, João Ritter e Bruno Vasconcelos em um trio, e Beto Soussa, Adriano Pinheiro e Alexandre Rigon no segundo.

A corrida teve início sem nenhum problema, mostrando que o nível dos pilotos segue cada vez mais elevado nesta competição dos mais experientes, além de uma melhora estrutural na qualidade dos servidores do iRacing.com, que possibilitou maior segurança.

O primeiro acidente visto foi somente na volta 19, com Rodrigo Franzoni pegando a linha e rodando, mostrando os novos danos do iRacing sobre o Dallara IR18 – que melhorou bastante neste ponto, trazendo mais realismo.

Mesmo um acidente no meio da corrida, com três erros isolados de Marco Brasil, Tiago Bandeira e Bruno Vasconcelos quase que simultaneamente, provaram que esta proporção e realismo de dano estão excelentes – apesar de ter ceifado ótimos pilotos da disputa.

Corrida Completa

Plinio Ferreira liderava com ótimo ritmo até fazer seu pit stop, antes dos demais, no giro 45. Foi só na volta 63 que a maioria dos pilotos parou, e Adriano Pinheiro ainda reapareceu a frente de Plinio – provavelmente o piloto da EG perdendo tempo na entrada dos boxes.

Eric Troyano liderava, com Jose Godoy e Wagner Pegoraro nas três primeiras posições, até estes pararem e encerrarem a janela de reabastecimentos e trocas de pneus – agora limitadas a cinco no total.

Com mais um trecho sob bandeira verde intenso, na volta 100 os pilotos começaram a ir aos boxes novamente, até que um breve erro de Cristiano Benevenuto acionou nova entrada do Safety Car.

Quem fez pit stop pouco antes se deu mal, como Adriano Pinheiro em 11º precisando fazer o ‘wave around’ – desconto de volta para o líder. Já Yurem Rubens abortou sua parada de dentro do pitlane e fez a troca de pneus e reabastecimento logo depois, retornando em oitavo.

O reinício de prova foi insano, com poucas voltas para muitas disputas. Os líderes João Ritter e Victor del Porto levaram a rivalidade a sério e começaram a dividir as curvas, permitindo ao restante do pelotão se manter colado e com chances de brigar.

Aí um acidente ocorreu na volta 116, com Gil Ribeiro tocando o muro e voltando sobre Plinio Ferreira e Wagner Pegoraro. A relargada teve Ritter, Pinheiro e Del Porto nas três primeiras posições.

Disputa fantástica nas voltas finais, com verdadeiros mestres na arte de correr com os Indy. Vitória de João Ritter com muita garra, com Adriano Pinheiro se recuperando de um wave around com grande destaque em segundo.

Ricardo Bizotto completou o pódio, a frente de Cristiano Benevenuto, que escapou de um susto nas voltas finais em quarto, e Adriano Fraporti anotou presença no ‘Top 5’.

O sempre excelente Victor Del Porto teve um toque nos metros finais e ficou em sexto, a frente de Silvio Sanchez, Valmor Arenhart, Beto Soussa e Marcio Mendes no grupo dos 10 primeiros, de um total de 14 pilotos recebendo a quadriculada.

“A qualidade da Indy Series deu um salto, um pouco pela qualidade dos servidores brasileiros, mas muito pela evolução destes pilotos, que hoje formam um bloco de muita experiência e nível elevado”, afirmou Rodrigo Wizard Steigmann, Diretor Geral do F1 Brasil Clube.

A Indy Series terá sua próxima etapa no dia 2 de fevereiro às 22h (horário de Brasília), no oval de Pocono, com transmissão ao vivo no canal F1BC no YouTube.

Final, 130 voltas
1 Joao Ritter (Corinthians), 130 Laps
2 Adriano Pinheiro (Corinthians), -00.051
3 Ricardo Bizotto (EG Racing 2), -00.100
4 Cristiano Benevenuto (SUB Racing), -00.312
5 Adriano Fraporti (Pegoraros Racing), -00.537
7 Silvio Sanchez (Corinthians), -01.345
9 Beto Soussa (Corinthians Gelo Pop), -1 L
14 Alexandre Rigon (Corinthians Gelo Pop), -6 L
24 Bruno Vasconcelos (Corinthians), -105 L


Volta mais rápida: Adriano Pinheiro, 0:24.675

Acompanhem o time de automobilismo do Corinthians no www.timaoracing.com.br e nas mídias sociais @timaoracing. O Corinthians no Automobilismo Virtual tem patrocínio de Bread King Alimentos, Gelo Pop Chapecó e Agência de Marketing Esportivo Hangar 8.

FONTE: www.f1bc.com.br